Centro integrado tem função estratégica para segurança

O monitoramento das ruas de Salvador, em tempo real, acontece diariamente, mas é intensificado em ocasiões de grande movimentação de pessoas para a garantia da segurança. Do CICCR, os profissionais ficam atentos a cada movimento e enviam informações aos agentes.

Enquanto milhares de pessoas marcaram presença nesta terça-feira (2), na tradicional Festa de Iemanjá, no bairro do Rio Vermelho, representantes das polícias Militar, Civil, Técnica, Federal e Rodoviária Federal acompanharam tudo por meio de dois telões existentes no Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), no Parque Tecnológico da Bahia. As imagens foram captadas pelas câmeras de segurança espalhadas pela capital baiana.

O monitoramento das ruas de Salvador, em tempo real, acontece diariamente, mas é intensificado em ocasiões de grande movimentação de pessoas para a garantia da segurança. Do CICCR, os profissionais ficam atentos a cada movimento e enviam informações aos agentes de rua para que sejam feitas intervenções imediatas em situações suspeitas ou de conflito.

“Estas ações são realizadas em conjunto. Quem está no centro tem a responsabilidade de direcionar as tropas para resolver as situações extremas que podem surgir. A gente sabe que a policia não é onipresente, mas a comunicação acontece a todo o momento para que a gente consiga garantir a ordem”, explicou o tenente- coronel Marcos Oliveira, coordenador do centro.

O monitoramento também acontecerá durante o Carnaval, quando aproximadamente 26 mil servidores da segurança pública – dentre eles, policiais militares, civis e técnicos e bombeiros – vão atuar de forma integrada para promover a ordem e preservar a paz nos três circuitos oficiais da folia e nas festas de bairro.

No CICCR, órgãos municipais, como Transalvador e Secretaria da Ordem Pública (Semop), também monitoram a cidade. É possível acompanhar todos os trios elétricos por meio de GPS, além de elaborar estratégias de policiamento e de posicionamento de viaturas em locais vulneráveis. “O material captado pelas câmeras é fornecido para as delegacias para investigação, funcionando também como meio de prova”, destacou Oliveira.

Fibra ótica

Entre os dias 3 e 9 de fevereiro, a folia momesca será o principal foco das lentes. Câmeras estarão espalhadas em postes, plataformas de observação elevada da polícia e em viaturas. Trinta e um quilômetros de rede de fibra ótica permitirão o monitoramento das imagens em tempo real e com melhor qualidade. Para as equipes em solo, 334 smartphones vão possibilitar a consulta da situação de cada indivíduo preso ou em atitude suspeita.

O esquema de segurança contará ainda com viaturas (carros, motos e caminhões) e cavalos, além de dois helicópteros e dois aviões do Grupamento Aéreo da PM (Graer), responsáveis por apoiar operacionalmente as ações de policiamento ostensivo e prestar socorro em casos de urgência. Nos principais corredores de acesso à festa também haverá revista para a promoção da segurança.

Fonte: Polícia Viola

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *