Governo reforça segurança do sistema nacional a países importadores de carne

Ministério da Agricultura suspendeu o registro de exportação de 21 frigoríficos investigados pela Polícia Federal em operação

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) suspendeu o registro de exportação dos 21 frigoríficos que são alvo da Operação Carne Fraca da Polícia Federal. A ação foi informada a todos os países que compram carnes das empresas investigadas. Segundo o ministro Blairo Maggi, a ação reforça a “segurança e a robustez” dos sistemas brasileiros de produção de carnes e de defesa agropecuária.

Blairo Maggi também afirmou que o Ministério tem mantido as autoridades de governos estrangeiros informadas sobre a operação a fim de evitar embargos totais e por tempo indeterminado. “Estamos dando aos mercados importadores a garantia de que não há problemas com os produtos embarcados. Não podemos ser embargados definitivamente pelos países, porque teríamos prejuízos imediatos e no futuro.”

O ministro ressaltou também que o objetivo, no momento, é tranquilizar os mercados interno e externo. “Nosso sistema detecta tudo. É totalmente rastreado. Ontem, por exemplo, vimos que havia um caminhão levando mercadoria para o Chile. Então, pedimos ao frigorífico que o veículo retornasse para não criar problema com o país. Podemos determinar, por exemplo, em qual navio e em qual posição no mar estão os contêineres”.

Vistorias

Como parte da estratégia de reforçar a transparência do sistema brasileiro de produção de carnes, o ministro inspecionou, nesta quarta-feira (22), um supermercado em Brasília. Durante a ação foram recolhidas oito amostras de coxa, sobrecoxa e empanados da Seara e de salsichas da marca Italli da Peccin. O material será submetido à análise laboratorial. A ação visa tranquilizar a população sobre a segurança das carnes consumidas pela população.

As amostras foram enviadas ao Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro) de Goiás para análises microbiológicas (bactérias e micro-organismos) e físico-químicas (aspectos sensoriais e a composição do produto). Os resultados devem sair em quatro ou cinco dias. Nesse período, o supermercado será fiel depositário dos produtos, sem comercializá-los.

Nessa terça-feira (21), Maggi esteve em uma unidade da Seara, no município da Lapa, região metropolitana de Curitiba. A empresa é exportadora de carnes e foi citada na operação da Polícia Federal. A visita do ministro serviu para mostrar a regularidade dos procedimentos sanitários adotadas na produção.

Carne Fraca

A operação, cuja investigação começou há mais de dois anos, apura o envolvimento de fiscais agropecuários federais em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular a empresários do agronegócio.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *