MAB disponibiliza espaço para feira agroecológica

Um dos trechos mais tradicionais de Salvador, o Corredor da Vitória, ganha feirinha agroecológica que acontece na área externa do Museu de Arte da Bahia (MAB), equipamento do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac), vinculado à Secretaria de Cultura do Estado (Secult). Todas às quintas-feiras, das 14 às 18h, são comercializados produtos orgânicos e exibidos filmes com debates sobre a temática ambiental na área interna do museu.

A iniciativa é da Cooperativa RedeMoinho – em parceria com o MAB – que foi idealizada por estudantes de Administração da Universiade Federal da Bahia (Ufba) para mostrar alternativas à industrialização dos alimentos, utilizando a economia solidária, a agricultura familiar e o comércio equitativo. “Trabalhamos com comércio justo, solidário e não visamos só lucro. Pensamos no social, modos de produção e produtores”, afirma Arlene Andrade, integrante da RedeMoinho. Segundo ela, a humanização da produção e consumo ganha novos adeptos em Salvador, como um modo de vida.

Feira MAB
Parceria com  a Cooperativa RedeMoinho integra dinamização dos museus administrados pelo Ipac
(Foto: Laís Carlos)

Segundo o representante do Instituto de Permacultura da Bahia, Ravi Santiago, “a permacultura é um sistema de ambiente sustentável integrado com a cultura de permanência e o cuidado com pessoas, o planeta e as cidades”. Também integrante da RedeMoinho e vendedora na feira, Laís Carlos destaca a interferência positiva na sua vida. “Isso me influencia muito. Aprendo com os produtores sobre cultivo solidário e familiar, mudando muitas concepções”.

A parceria RedeMoinho com o espaço integra a dinamização dos Museus do Ipac. “O MAB está em um terreno com 6,6 mil metros quadrados, entre o Corredor da Vitória e o Vale do Canela, com enorme área externa que deve ser utilizada. O diretor Pedro Arcanjo mantém o museu aberto com exposições permanentes, temporárias, palestras e outras iniciativas”, explica o diretor geral do Ipac, João Carlos de Oliveira. Para Eduardo Andrade, da RedeMoinho, o apoio governamental é importante. “Aqui é um lugar de cultura e o diretor do MAB, Pedro Arcanjo, foi muito solícito”.

Duas exposições temporárias estão em cartaz no MAB – ‘Crônica do Sertão’ de Juraci Dórea, até 10 de setembro, e ‘Performances’ de Caio Araújo, até 26 de agosto. Nesta sexta-feira (4), acontece palestra da psicanalista Maria Eunice Santos, no Projeto Diálogos Contemporâneos. Nesta quarta (2), às 18h, o Ciclo Novas Culturas Políticas, com os pesquisadores Joel Birman (UFRJ) e Vladimir Safatle (USP) e Messias Bandeira (UFBA). Todos com entrada franca. O MAB fica aberto das 13 às 18h, de terça à sexta-feira, e no sábado e domingo, das 14 às 18h. Conheça os Museus/Ipac acessando o link do site do instituto.

Fonte: Ascom/Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *