Transtorno Narcisista Materno: Falta de empatia, excesso de cobrança e desvalorização dos filhos são alguns sinais.

Filhos de mães narcisistas enfrentam riscos emocionais e psicológicos, como problemas de autoimagem, ansiedade e depressão.

Mãe narcisista – características

A concepção da maternidade frequentemente é vinculada a um amor incondicional, mas essa idealização não reflete a realidade de todas as mães. Para muitos filhos, a ausência de relacionamento com suas mães pode resultar em questionamentos. A falta de uma boa convivência entre mãe e filhos pode significar ao Transtorno de Personalidade Narcisista. Para o psiquiatra e professor de Medicina do Centro Universitário de Brasília (CEUB) Lucas Benevides, quando uma mãe tem esse transtorno, seu comportamento pode afetar significativamente o desenvolvimento emocional e psicológico de seus filhos. 

O nome desse transtorno de personalidade faz menção ao personagem Narciso, da mitologia grega, que se destacava por sua beleza e, deslumbrado com seu reflexo observado nas águas de um rio, acabou afogado. A partir desse conceito, além de ser apaixonada pela própria imagem, esta pessoa exige admiração constante de seus filhos, gerando comportamentos abusivos que prejudicam a saúde mental dos herdeiros. 

Para Lucas Benevides, o Transtorno de Personalidade Narcisista, além de caracterizado por um padrão de grandiosidade e falta de empatia, assume proporções significativas quando presente em mães, gerando sérias consequências na vida e nas relações dos filhos. “O foco excessivo em si mesma, comportamento manipulador, críticas frequentes e desvalorização dos filhos são indicadores desse transtorno. Tais atitudes geram impacto negativo no desenvolvimento emocional e psicológico das crianças criadas neste convívio, resultando em problemas como baixa autoestima, depressão, ansiedade e dificuldades de se relacionar”, conta. 

Segundo o psiquiatra, as possíveis causas do narcisismo em mães podem incluir experiências de infância, como negligência ou superproteção, traumas, ou mesmo influências genéticas e ambientais. Benevides adverte que é fundamental diferenciar uma mãe com apenas traços narcisistas de uma com o transtorno completo, visto que o último se manifesta desde a infância em todos os relacionamentos, enquanto os traços podem ser mais pontuais. “Uma mãe com traços narcisistas pode exibir comportamentos centrados em si mesma, mas não atende aos critérios completos para o transtorno de personalidade narcisista”, explica o professor. 

O professor de Medicina do CEUB recomenda estratégias por parte dos filhos, como estabelecer limites claros com essas mães, buscar apoio emocional externo, compreender melhor o narcisismo e praticar o autocuidado. “A partir da identificação do transtorno ou dos traços narcisistas, é importante buscar ajuda profissional, com terapia individual ou em grupo, tanto para a mãe quanto para a família, como parte fundamental do tratamento”, frisa. 

Sou mãe narcisista, e agora?

Lucas Benevides afirma que filhos de mães narcisistas enfrentam riscos emocionais e psicológicos, mas existe tratamento para os dois lados. “Estes podem ser mitigados através de terapia, apoio de outras figuras parentais ou mentores e desenvolvendo uma rede de suporte”. O psiquiatra indica tratamentos terapêuticos com abordagens cognitiva, reflexiva e aconselhamento familiar. Após reconhecer o problema, a terapia pode ajudar a mãe a entender e mudar comportamentos prejudiciais. ” O autoconhecimento e a vontade de mudar são essenciais para melhorar seu comportamento e o relacionamento com os filhos”, reforça.

Lucas Benevides Foto: rheos

* Fonte: CEUB – Máquina Cohn & Wolfe

Máquina Cohn & Wolfe
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *