Ações do governo vão beneficiar cerca de 50 mil crianças e adolescentes no Rio de Janeiro

Intenção é afastar os jovens do crime e diminuir a violência na capital e em toda a região metropolitana por meio de diversas atividades

Cerca de 50 mil crianças e adolescentes serão beneficiados com o Programa Emergencial de Ações Sociais para o Rio de Janeiro, lançado nesta segunda-feira (13) pelo Governo do Brasil. A intenção é afastar os jovens do crime e diminuir a violência na capital e em toda a região metropolitana. Para isso, serão investidos R$ 157 milhões.

Com a intenção de estimular a participação de jovens, os recursos serão aplicados em atividades esportivas, culturais e de tecnologia, como danças, jogos e cursos, e também nas áreas de justiça, educação e direitos humanos. As ações serão realizadas no contraturno escolar.

Crianças e adolescentes de 6 a 17 anos das áreas do Complexo do Lins de Vasconcelos, Complexo do Alemão, Complexo da Penha, Complexo da Maré, Chapadão/Pedreira, Cidade de Deus e Vila Kennedy, Rocinha, Baixada Fluminense e Complexo do Salgueiro (São Gonçalo) serão beneficiados. Eles devem estar inseridos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e, preferencialmente, atendidos pelo Bolsa Família.

Um Rio Com Paz

Atividades

Divididos em seis áreas, os R$ 157 milhões vão reforçar, por exemplo, o programa “Esporte e Cidadania para Todos”, beneficiando 44 mil jovens em situação de vulnerabilidade social ou que cumprem medidas socioeducativas em unidades de internação do estado do Rio de Janeiro.

Na área de defesa, a verba vai incrementar o Programa Forças no Esporte (Profesp) com a compra de material esportivo, uniforme, contratação de professores e monitores, melhoria de instalações e alimentação aos beneficiários até dezembro de 2018.

Para a educação, mais de mil instituições poderão melhorar as suas instalações por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), atendendo entre 450 mil e 550 mil estudantes. Também serão intensificados os esforços para identificar crianças e adolescentes fora da escola para que voltem a frequentar as aulas.

Justiça

As “Casas de Direito: Cidadania Plena” construídas no estado serão reativadas. Haverá a compra de equipamentos permanentes e material de consumo, adequação do espaço físico, contratação e manutenção de recursos humanos, confecção e impressão de material gráfico.

Já as vagas em comunidades terapêuticas serão ampliadas, assim como os serviços oferecidos em oito centros de Referência de Assistência Social (Cras) e em seis centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Será reforçado também o atendimento nos Centros POP das comunidades atendidas.

Por fim, para reduzir a vulnerabilidade dos jovens, especialmente dos negros, o Plano Juventude Viva receberá investimento para a contratação de profissionais, pagamento de encargos sociais, realização de obras, reforma de seis centros e aquisição de material de consumo.

Fonte: Planalto, com informações do Ministério do Desenvolvimento Social 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *