A fauna diversificada do Parque Erivaldo Cerqueira

No meio da multidão de patos que grasnam sem parar, um canto diferente, mas da mesma família: um casal de marrecos, ave conhecida pelo instinto selvagem, emite seu canto fino que destoa e se destaca dos demais. Centenas de aves vivem no Parque Erivaldo Cerqueira, nas Baraúnas.
Entre eles também podem ser vistos galos e galinhas da raça galizé – aqueles nanicos invocados, e galinhas d’água, nativas do local e não menos arredias, mas que parecem não mais se incomodar tanto com a aproximação de humanos.
Outras atrações são os peixes da raça tambaqui, que foram colocados no lago logo depois da inauguração. Os animais se tornaram gigantes e dão espetáculo quando disputam a comida jogada pelos visitantes. Todos pesam mais de dez quilos e a sua pesca é proibida.
O exótico casal de marrecos, também conhecido como paturi, de bela plumagem, foi doado por um frequentador do parque, de acordo com o responsável pelo local, Deodato Peixinho, diretor do Departamento de Áreas Verdes. Rapidamente eles se adaptaram ao parque. Mas não se sabe se a sua prole vai adotar ou não o instinto selvagem.
Os animais são alimentados pela administração do parque, com ração. Mas todos os dias os visitantes trazem algum tipo de comida, principalmente pão. E as aves aprenderam a associar sacolas a comida. Correm em direção ao visitante e andam atrás dela em grande procissão. Para garantir alimentos, os patos fazem voos curtos.
Fonte: PMFS
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *