SMT orienta estudantes quanto ao uso e conservação das botoeiras em samáforos

As botoeiras instaladas nos semáforos situados na avenida Maria Quitéria, no trecho em frente a Associação de Proteção a Infância e ao Colégio Estadual São João da Escócia, estão sendo danificadas frequentemente devido ao uso incorreto do equipamento. Algumas vezes são também alvo de vandalismo. Visando solucionar essa questão, a Superintendencia Municipal de Trânsito está realizando uma ação de conscientização junto aos alunos das duas unidades de ensino.
Nesta quinta-feira, 24, o trabalho foi realizado com os alunos da Associação de Proteção a Infância. Na oportunidade eles foram orientados sobre o manuseio do equipamento, tempo do semáforo e a importância da preservação. “O botão deve ser apertado por três segundos, daí deve esperar de 20 a 30 segundos para o semáforo abrir para os pedestres. Depois de aberto, são 30 segundos para atravessar na faixa”, explica a agente de trânsito Michele Medeiros.
Os equipamentos também possuem uma pequena placa com explicação em braile. “Essas plaquinhas estão sendo arrancadas e por isso estamos também conversando com os alunos para evitar que isso aconteça, pois uma das finalidades do equipamento é a acessibilidade para pessoas com deficiência”, revela a agente Mayana Brandão.
Para a professora Rosângela Freitas o trabalho de conscientização é bastante relevante. “Esse equipamento é importantíssimo para todos os alunos e funcionários da escola. Como eu moro no Feira IX, sempre paro do outro lado da avenida. E sem a botoeira tem dia que demora quase meia hora para conseguir atravessar”, exemplifica. Na próxima quarta-feira, 30, será a vez dos estudantes do Colégio São João da Escócia receberem as orientações.
Atualmente existem dez equipamentos desse tipo na cidade. Os aparelhos são adaptados para qualquer pessoa que tenha algum tipo de deficiência. A sua altura facilita a utilização daqueles que são cadeirantes. Possui codificação para leitura em braile, para ser utilizado por deficientes visuais, além de sinais sonoros para deficientes auditivos.
Fonte: PMFS
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *