UM VAZIO NA CRÔNICA ESPORTIVA

Foto/Site da Prefeitura Municipal de Feira de Santana

A cônica esportiva baiana, em especial de Feira de Santana, registrou uma grande perda este  mês (junho) com o falecimento, aos 69 anos de idade, do atuante radialista José Rogério Santana. Ele enfrentava problemas de saúde desde 2016, e no dia 16 foi vítima de uma parada cardíaca.  Natural de Tucano, Rogério começou jogando futebol em equipes amadoras de Feira de Santana, firmando-se no ataque do São Paulo F.C, do qual também, posteriormente, foi dirigente.

Foi presidente da Liga Feirense de Desportos (LFD), com marcante trabalho e foi responsável por um trabalho de formação de valores no Fluminense de Feira, colaborado com vários outros clubes da cidade. No rádio local, começou em 1983, com repórter esportivo na Rádio Sociedade, passado pelas rádios Carioca (hoje Povo) e Subaé. Resgatou e manteve por muito tempo, nas emissoras onde atuou, o antigo programa A Voz do Fluminense, que foi criado e apresentado na Rádio Excelsior da Bahia, na década de 60, pelo laureado comunicador esportivo José Ataíde.

Rogério Santana foi diretor de programação da Rádio Sociedade idealizando programas como Canto da Terra, A Voz dos Munícipios e Programa da Manhã. Também trabalhou na informação impressa, escrevendo em jornais locais, além de ter fundado a Revista Estádio, especializada em esportes, que durante alguns anos, foi a melhor publicação do gênero na Bahia.

 No comando da equipe de esporte da Sociedade fez um trabalho merecedor de elogios. Rogério foi um desportista na extensão da palavra – aficionado, praticante, colaborador, dirigente, incentivador, promotor e divulgador. Eternizou-se no esporte, sobretudo fazendo amigos que, por certo não irão esquecê-lo!

Por Zadir Marques Porto.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *